segunda-feira, 31 de março de 2008

Uso seguro do computador por crianças

Há pouco tempo um conhecido me pediu uma consulta sobre um tema inusitado: ele costuma emprestar o computador para um amigo que produz conteúdo “adulto”, e estava bastante preocupado com a possibilidade de que seus filhos menores acessassem este material.

Talvez esse tutorial do site IDG Now! (aqui), sobre como criar pastas protegidas com senhas no Windows XP possa ajudá-lo, e também a outras pessoas.

Pesquisei um pouco mais sobre o tema e encontrei esse outro tutorial (aqui) sobre como filtrar conteúdos na navegação com o Internet Explorer. Já para quem usa o Firefox, há a opção de uso da extensão Glubble. Saiba mais sobre ela aqui. Ambas as opções são úteis para quem administra computadores utilizados por crianças. Se alguém usa alguma dessas estratégias e quiser fazer comentários sobre a funcionalidade das mesmas, seria interessante.

Postado por Richard Romancini

sábado, 29 de março de 2008

O que é rede social

Esse breve vídeo é do interessante site dotSUB.com.

Postado por Richard Romancini

Stoa: a rede social da USP

A Universidade de São Paulo, que desde quinta-feira está com seu site remodelado (aqui), aderiu ao conceito de rede social, com a criação do Stoa. A iniciativa tem o objetivo de que sejam criadas comunidades de estudantes e professores, favorecendo a interação no ambiente acadêmico.

Ex-alunos também podem participar (basta ter o número USP). O cadastro é feito a partir de um botão na tela inicial do Stoa. Saiba mais sobre esse projeto aqui.

Embora as redes sociais - Orkut, MySpace etc. - sejam populares no Brasil (entre os que têm acesso à Internet), no próximo post vamos colocar um pequeno vídeo que explica o que é esse tipo de serviço (rede social).

Postado por Richard Romancini

sexta-feira, 28 de março de 2008

Henfil e a televisão

Já se comentou (aqui) os 20 anos sem Henfil, mas como sempre é bom lembrar desse grande artista, a contribuição de Katsue é ótima. Ainda mais em tempo de Módulo TV e Vìdeo (Ciclo Intermediário). Para ver a charge em tamanho maior, clique na ilustração.

Postado por Richard Romancini

Utilitários para Linux: Open Movie Editor

Falando ainda em utilitários livres para feitura de produções audiovisuais, o breve tutorial abaixo (em inglês) mostra o uso do Open Movie Editor, para Linux. Como se pode ver, é bem parecido com o Windows Movie Maker.



Postado por Richard Romancini

Cinema, vanguardas e internet


Falando no cinema das vanguardas e em suas possibilidades de difusão via Internet - como o trecho de Limite do último post demonstra - uma iniciativa que merece ser conhecida é a do site UbuWeb. Este projeto, na verdade, é um grande diretório de arquivos (textos, áudios e filmes) sobre as vanguardas do início do século e da contemporaneidade.

O site tem uma parte excelente com filmes para serem vistos (aqui), infelizmente o download nem sempre é possível nos endereços dos parceiros externos ao UbuWeb que colaboram na difusão dos trabalhos.

Como muitas das obras são silenciosas, a ausência de legenda não é um grande incômodo. Entre os filmes que podem ser visto estão o clássico surrealista Un chien andalou (1929), de Luis Buñuel, e Film (1965), um interessante trabalho a partir roteiro de Samuel Beckett, com a participação do comediante Buster Keaton.

Vale notar que ambos os filmes estão também no YouTube (divididos em partes). Acima, está a primeira parte de Film (a segunda está aqui).

Postado por Richard Romancini

quinta-feira, 27 de março de 2008

Centenário de Mário Peixoto

Um leitor do blog de Luis Nassif notou que o dia 25 último (terça-feira) foi o centenário do nascimento do cineasta Mário Peixoto, que foi o autor do lendário filme mudo brasileiro Limite (1931). O mesmo leitor do blog deu a dica de um site interessante sobre Peixoto (aqui).

Pouco visto, mas muito debatido, Limite é uma das poucas e mais bem sucedidas experiências de cinema de vanguarda no Brasil. Foi também o único filme concluído pelo cineasta e quase se perdeu por motivos de conservação.

É quase certo que foi por esse centenário que o Canal Brasil (da TV a cabo) passou Limite na terça. Ver o filme na TV ou no vídeo/DVD não é a melhor maneira de se aproximar dele, já que é um filme cujas qualidades são percebidas melhor na tela grande, com a maior atenção propiciada pelo ambiente de cinema.

Claro, é possível notar, na tela pequena, o cuidado com o ritmo das imagens e a tentativa de criação de uma atmosfera peculiar e, assim, gostar do filme - ou no mínimo admirar a ousadia do diretor.

Abaixo, um trecho inicial do filme, colocado no YouTube.

Animações no site revis.org

Um dos links interessantes do Estúdio Livre (post anterior) é o do site revis.org, que tem uma parte sobre animações com programas livres (aqui), fonte da imagem acima.

Postado por Richard Romancini

Estúdio Livre

O site do projeto Estúdio Livre - que se define como um “ambiente colaborativo em constante desenvolvimento que tem por objetivo a formação de espaços reais e virtuais que estimulem e permitam a produção, a distribuição e o desenvolvimento de mídias livres” - possui uma série de informações úteis sobre ferramentas (de áudio, vídeo e gráficos) e conceitos de software livre.

Todas as ferramentas deste ambiente são baseadas em software livre, nesse sentido, suas informações são importantes, pois os softwares não proprietários nas áreas priorizadas são ferramentas de criação interessantes, mas sem tanta divulgação.

Postado por Richard Romancini

quarta-feira, 26 de março de 2008

Midiateca do IEA

O Instituto de Estudos Avançados (IEA) da Universidade de São Paulo fez algo bem interessante em seu site: organizou uma midiateca (aqui) com vídeos, áudios e apresentação relacionadas com eventos já realizados. Vale a pena conhecer.

Entre os materiais, estão as gravações, a seguir, do CD “Sons do Grande Sertão”:
Canção de Siruiz (Versos de "Grande Sertão: Veredas") — adaptação e voz: Antonio Candido;

Palavras Finais de "Grande Sertão Veredas" — voz: José Mindlin.
Postado por Richard Romancini

terça-feira, 25 de março de 2008

Manuais do Audacity

Dois bons manuais introdutórios do Audacity, em formato de texto, um em html e outro em pdf, encontram-se, respectivamente, aqui e aqui.

Vale notar que aqui estão vários vídeos com tutoriais sobre esse programa de edição de áudio digital.

Postado por Richard Romancini

segunda-feira, 24 de março de 2008

Régua para a tela do computador

Já pensou em ter uma régua para medir as imagens em seu monitor? À primeira vista pode parecer bem inútil, no entanto, se você edita bastante material web pode ser interessante. E, pelo menos, é uma ferramenta gratuita, veja aqui.

Postado por Richard Romancini

Muxicall

Outra experiência sonora inusitada é proporcionada pelo site Muxicall. Ele faz parte de um projeto ligado à Universidade de Aveiro, sobre as possibilidades de composição coletiva.

De fato, ao entrar no site você pode participar da composição/execução de uma peça sonora com outros internautas que estejam no ambiente.

Postado por Richard Romancini

domingo, 23 de março de 2008

O menino das meias vermelhas

Ao procurar o texto de Cony com a sua visão sobre a chegada da família real portuguesa ao Brasil, encontrei também, no YouTube, um filme baseado num conto do escritor, O menino das meias vermelhas.

É resultado de um trabalho interdisciplinar de alunos do curso de Cinema e Vídeo da Faculdade de Tecnologia e Ciências (FTC) de Salvador, e foi feito em 2007. Apesar do desempenho dos atores deixar um tanto evidente o teor de exercício do filme, a produção consegue transmitir bem o contexto emocional (e até certo ponto ligado à vida escolar) do conto.



Postado por Richard Romancini

Uma visão crítica do bicentenário

O “mestre do nosso setentrião” ao qual Carlos Heitor Cony referiu-se a propósito das críticas ao bicentenário da chegada da corte de dom João ao Brasil (ver post aqui) é o historiador Evaldo Cabral de Mello (irmão do poeta João Cabral).

As críticas de Cabral de Mello, considerado um dos mais importantes historiadores brasileiros, ao período joanino tocam em pontos importantes, como a espoliação a que as províncias do norte foram submetidas por um regime autoritário.

Uma entrevista interessante de Evaldo Cabral ao Jornal do Commércio pode ser lida aqui. A dica desse texto, bem como a imagem de dom João acima, teve como fonte o blog de Paulo Moreira Leite (aqui).

Postado por Richard Romancini

sábado, 22 de março de 2008

Humor geek

Havia um jovem que, na sua infância, tinha o desejo de se tornar um grande escritor.

Quando lhe pediam para definir ‘grande’, ele dizia:

‘Quero escrever coisas que todo mundo venha a ler, coisas a que as pessoas reajam num nível verdadeiramente emocional, que as façam gritar, chorar, gemer, e lhes cause desespero e raiva!’

Hoje, aquele jovem finalmente atingiu seus objetivos! Ele trabalha na Microsoft escrevendo as mensagens de erro... É mole?”
É claro que não foi a MS que inventou o “kernel panic”, mas como ela é majoritária no mercado e o Windows costumava ser bem instável... Uma série de piadas como essa, acima, do site Foca GNU/Linux (aqui) se espalharam. Outra boa história é sobre o que aconteceria se a Microsoft fizesse carros (aqui).

E, “para matar a saudade”, uma tela azul da morte, do Windows 95/98, da Wikipédia (aqui).

Windows


A fatal exception 0E has occurred at 0157:BF7FF831. The current application will be terminated.


* Press any key to terminate the current application.


* Press CTRL+ALT+DEL again to restart your computer. You will lose any unsaved information in all applications.


Press any key to continue and remember!

Postado por Richard Romancini

Jornalismo e educação

É impressionante a ingenuidade que os jornalistas por vezes revelam ao cobrirem temas de educação (na verdade, é até uma questão de raciocínio lógico). O exemplo atual é a chamada para matéria da Folha de S.Paulo, a partir de dados do Saresp 2007, de ontem (21/03): “Período integral não melhora o desempenho”. O título interno da reportagem ficou como: “Em SP, ensino integral não melhora nota de alunos” (disponível on-line aqui).

Por que - talvez até com boa intenção - a reportagem é equivocada ou no mínimo incompleta? Porque ela tira uma conclusão que não é suportada pelos dados apresentados, isto é, um levantamento que mostra que “das 60 escolas com período integral na capital, apenas quatro tiveram notas superiores às médias das demais unidades de suas regiões”.

É claro que esse levantamento estatístico é importante e diz algo de interesse, mas ele não suporta a idéia de que o período integral não provocou (ou pode provocar) melhora. O que seria mais correto e significativo seria a comparação (via os próprios dados do Saresp) da situação das escolas antes da adoção do período integral e depois.

A variável “número de horas na escola” é uma entre tantas a justificar o desempenho dos estudantes em termos de aprendizado. Portanto, para dizer se houve “melhora” ou “piora” é preciso comparar a própria escola no tempo e não escolas diferentes sincronicamente.

É possível que o resultado não fosse tão “bombástico” e sensacional (e certamente seria mais trabalhoso produzir a matéria assim), porém informaria bem melhor os leitores - pais, educadores e demais cidadãos.

Postado por Richard Romancini

É possível editar o título do post com HTML

Não que eu goste particularmente do efeito de texto corrido - mas ele torna bem evidente essa possibilidade de uso de HTML no título do post, que testei (no anterior) e vi que deu certo.

Mais um motivo para entender um pouquinho de HTML (ver comentário aqui).

Postado por Richard Romancini

sexta-feira, 21 de março de 2008

Quiet american

Falando em experiências sonoras na Internet, vale a pena conhecer o site Quiet American, de Aaron Ximm.

Talvez a melhor definição do que vem a ser o trabalho desse artista esteja no que é dito nos dois primeiros parágrafos da Introdução do site:
The world makes its own music, but we rarely listen with naive ears.

Quiet American is the manipulation of sounds I hear and record.
Acima, você vê fotos relacionadas com um dos trabalhos de Ximm, Guantánamo Express (aqui).

Postado por Richard Romancini

Musopen

Sob o slogan “made by the public for the world” o site Musopen é um interessante projeto de biblioteca digital de música clássica, gravada por instituições dos EUA, em domínio público.

O catálogo ainda não é muito grande, mas está em expansão e novas funcionalidades (além das tradicionais, como sistemas de busca interna, download e execução das peças e textos informativos) têm sido implementadas. Assim, agora é possível criar um tocador que será incorporado a blogs ou sites, como o que está abaixo, com uma música de Chopin.


Postado por Richard Romancini

Estatísticas para sites e blogs

Vale notar, a propósito do post anterior, que é possível saber como as pessoas chegam a blogs e sites com o uso de ferramentas on-line como, entre outras, Google Analytics, Sitemeter e Extreme Tracking (logo acima). Com a opção gratuita do Extreme, a usada no blog, já dá para conhecer algumas coisas (Sistemas Operacionais usados, país e estado do visitante etc.) sobre os leitores e como eles chegam até aqui.

Postado por Richard Romancini

A corte, o Rio e o Brasil

Nem toda correlação é significativa, mas creio que essa é. Fato um: tem havido certo aumento no número de visitas ao blog, principalmente por causa de pessoas que chegam aqui devido a um post sobre a vinda da família real portuguesa ao Brasil. Fato dois: é possível notar que a grande maioria desses novos visitantes é do Rio de Janeiro. Possível interpretação: estudantes e educadores desse estado valorizam mais essa data (os 200 anos) da transferência da corte para o Brasil.

É até certo ponto natural, já que a corte terminou instalando-se no Rio. Porém, creio que é uma pena pensar nesse evento como de importância apenas local ou como mera “data comemorativa” do passado sem conseqüências.

A justa crítica de certos historiadores à ênfase excessiva, no estudo da História, nos “grandes nomes” e “eventos” não pode ser confundida com o desprezo a datas importantes por resumirem ou acelerarem “processos” estruturais anteriores, ao mesmo tempo em que estes afetaram a vida do homem comum do passado e apontam para aspectos que se projetarão no tempo.

Muito do que somos hoje - todos os brasileiros - está relacionado com esse evento da transferência de um império europeu para o então Brasil colônia. Por isso, a “comemoração” dessa data, se acompanhada de reflexão crítica, pertence, é importante, a todos os brasileiros, não só do Rio.

Nesse sentido, ao criticar a visão do bicentenário como atinente apenas ao Rio de Janeiro, é interessante a opinião de Carlos Heitor Cony, em crônica publicada na Folha de S.Paulo, que é transcrita a partir do “leia mais”.

Acima, o quadro A Chegada de Dom João VI à Bahia (1952), reproduzido do Projeto Portinari.

Postado por Richard Romancini

CARLOS HEITOR CONY

Província e metrópole

RIO DE JANEIRO - Um historiador nordestino continua criticando o Rio por estar dando destaque às comemorações do bicentenário da chegada da corte de dom João ao Brasil. Segundo o mestre do nosso setentrião, que neste particular é acompanhado por mestres de outros Estados, inclusive de São Paulo, a badalação sobre a vinda de fugitivos de Napoleão é apenas uma jogada de marketing, destinada a encobrir as mazelas de uma cidade que deveria estar preocupada em combater a violência urbana, que envergonha não apenas a cidade mas o país inteiro.

Acontece que a vinda da corte portuguesa para o Brasil é um dos poucos episódios de nosso passado que merecem fazer parte da história universal. Foi uma derrota de Napoleão e um motivo a mais para seu ódio contra a Inglaterra, que culminaria na derrota final em Waterloo.

Embora modesta no cenário mundial, a monarquia portuguesa deu um exemplo às monarquias bem mais poderosas, que somente no Congresso de Viena voltaram a ocupar o trono do qual foram expulsas pelos exércitos franceses. Fugindo ou recuando, o fato é que dom João não foi derrotado por Napoleão. Os Braganças continuaram no trono, apesar do vendaval que varreu a Europa.


À margem do contexto internacional, o Brasil deixou de ser colônia e passou a ser metrópole, apesar da bagunçada transferência de tantos portugueses para cá. A Independência de 1822 não teria havido sem a chegada da corte de Lisboa ao Rio. E a cidade não tem culpa de ter sido sede de um império europeu.


Em muitos sentidos, o Brasil só começou a existir em 1808. Criticar o Rio por estar comemorando este bicentenário é a expressão de um provincianismo até certo ponto estúpido. O grito às margens plácidas do Ipiranga não é um fato paulista.


Fonte: Folha de S. Paulo, quinta-feira, 13 de março de 2008.

quinta-feira, 20 de março de 2008

Áudio em blogs e sites: Gcast e Esnips

Dois sites parecidos com o iJigg (comentado anteriormente), no sentido de permitirem o upload de áudio e por criarem tocadores, são o Gcast e o Esnips. No caso deste, é possível fazer o upload (o serviço vira um disco virtual do usuário) de arquivos diversos até o limite de 5GB.

Postado por Richard Romancini

Seminário do Programa Nas Ondas do Rádio

A Câmara Municipal de São Paulo irá promover o Seminário do Programa Nas Ondas do Rádio - “A Mídia e a Tecnologia no Espaço Escolar”. O evento ocorrerá no dia 27 de março (quinta-feira), das 14h às 17h.

O professor Ismar de Oliveira Soares, coordenador do NCE/USP, irá participar, proferindo palestra sobre o tema “Educomunicação e Mediação Tecnológica”. Veja no blog Blogando n@s ondas do rádio (aqui) o programa completo do Seminário e informações sobre como se inscrever.

Postado por Richard Romancini

quarta-feira, 19 de março de 2008

Olhar Digital

O site Olhar Digital possui uma série de pequenos vídeos com explicações sobre serviços e sites. Alguns destes vídeos são indicados a seguir, sobre os temas:
Postado por Richard Romancini

PicLens

O programa gratuito PicLens permite transformar as imagens do navegador numa espécie de slideshow, o que é interessante, em particular, quando se está em contas do Flickr, Picasaweb ou sites de imagens de maneira geral.

É preciso instalar o programa, no entanto, isso é bem rápido e o uso do programa é simples.

Postado por Richard Romancini

terça-feira, 18 de março de 2008

Cartunistas de ontem e hoje

[info-tira5.jpg]

O blog do cartunista de Brasília André Mangabeira (aqui), autor do cartum acima (clique aqui para vê-lo em tamanho maior), não é só voltado à tecnologia. Ele é um desenhista com bom senso de observação do cotidiano e de traço interessante.

Seu estilo, que tende a reforçar o grotesco dos personagens, faz lembrar um pouco o de um grande desenhista da imprensa do passado, hoje não muito conhecido: Carlos Estevão. O site Memória Viva teve a boa idéia de reunir trabalhos desse artista muito talentoso e bem humorado (aqui).

Postado por Richard Romancini

Editores de imagem on-line

Além do Picnik, existem outros editores de imagem on-line interessantes, como o Splashup e o Snipshot. Ambos podem ser usados com ou sem registro do usuário. O primeiro deles é quase um mini-Photoshop, com vários recursos (como camadas) avançados e interessantes. O Snipshot talvez seja mais amigável para os iniciantes, porém, várias das opções de edição só são possíveis com a feitura de assinatura.

Não é um editor on-line, mas também é uma boa opção para usuários que não querem gastar, mas precisam fazer algumas edições mais avançadas, o software gratuito Paint.NET.

Postado por Richard Romancini

Entrevista do diretor da Linux Foundation

Se você pensa no que faz o sucesso de uma plataforma de desktop, o fato de o Windows vir pré-instalado na maior dos computadores comprados no mercado, obviamente é uma grande vantagem. E estamos começando a ver companhias fazer o mesmo com o Linux.

[...]

Portanto, estamos começando a ver os OEMs pré-instalando o Linux pela primeira vez, o que é interessante, mas quando você olha mais a fundo, o mais interessante é: por que eles estão fazendo isso? Por que o Linux é mais funcional que nunca? A resposta é sim, está mais funcional. Mas tem também tem os custos do Windows. Em um PC de 300 a 400 dólares, é 30% a 40% do preço.”
Trecho da fala de Jim Zemlin, diretor executivo da Linux Foundation, entrevistado por Paul Krill, editor do InfoWorld. Íntegra da matéria no site IDG Now (aqui).

segunda-feira, 17 de março de 2008

Picnik e Flickr

Voltando a falar em ferramentas de edição de imagens (para ou que estejam) no Flickr, o editor on-line de imagens Picnik merece destaque. Ele faz uma série de tarefas úteis, como redimensionar o tamanho das fotos, girá-las, cortá-las, possibilita fazer mudanças no brilho e contraste etc. No caso do Flickr, o acesso se dá diretamente quando se clica no ícone de edição.

Porém, o Picnik pode ser também associado às contas dos álbuns do Picasaweb e outros sites do gênero. Além disso, é possível usar o serviço (fazendo ou não cadastro) com o upload da foto que se quer alterar.

Postado por Richard Romancini

Chocolate amargo

Para que não se diga que - apesar de engraçado - não tem nada a ver com educação, noto que vi o vídeo acima pela primeira vez em um blog chamado “Mídia na Educação” (aqui).

Postado por Richard Romancini

domingo, 16 de março de 2008

“Diga Sim pela Criança” e Picto

Vou utilizar novamente material da campanha Diga Sim pela Criança (ver post anterior) para ilustrar o uso de outro serviço de site da Internet. Dessa vez, de Picto, um site que permite a construção de galerias de imagens, quando estas estão no Flickr. Para quem não sabe, este é um site que possibilita a inserção (via upload) de fotos pelo usuário, com opções gratuitas e com assinatura. Com a opção gratuita já dá para fazer muita coisa. E, em associação com o Picto (cujo uso é bem intuitivo), a feitura do que se vê abaixo.

Nota: dá problema na acentuação gráfica (no Picto), que por isso foi retirada. Repare, também, que quando o cursor do mouse pára em “Notes” é possível ler o nome da escola que realizou o cartaz.



Postado por Richard Romancini

sábado, 15 de março de 2008

“Diga Sim pela Criança” e iJigg

Em abril de 2002, dentro do Educom.rádio, o NCE/USP e as escolas da prefeitura do município de São Paulo então participantes do projeto realizaram uma ação educomunicativa muito interessante inserida na campanha mundial do UNICEF Diga Sim pela Criança.

Foram produzidos spots radiofônicos e cartazes que tinham por tema as propostas a serem discutidas pelo Movimento Global pela Criança. Em verdade, talvez o maior mérito da ação tenha sido colocar em discussão nas escolas questões como a necessidade de garantir a participação dos jovens e crianças, combater todas as formas de preconceito, dar às crianças e jovens uma educação de qualidade, entre outras.

Estou relembrando isso, pois queria explicar o possível uso do site iJigg, pelos educadores, e precisava de material sonoro interessante para ilustrar o que ele faz. Ele permite que o usuário faça o upload de áudios em formato digital que depois poderão ser colocados em sites ou blogs (o iJigg produz um tocador). É preciso, para tanto, que o interessado faça um cadastro nesse serviço gratuito.

Concluindo, abaixo, você pode escutar três spots, produzido por professores, estudantes e membros das comunidades escolares da PMSP, que participaram da Campanha, em tocadores iJigg. Outros spots dessa ação podem ser ouvidos na página do NCE/USP (aqui).







Postado por Richard Romancini

sexta-feira, 14 de março de 2008

“Prezada Censura”

‘Prezada Censura e amigos’ foi a fórmula encontrada por uma ‘senhora doente’ para dirigir-se à DCDP. Ela, que não trabalhava, encontrara tempo para atender ao pedido de ‘umas 50 mães de família’ de encaminhar solicitação para que fossem censurados os programas de TV que contivessem ‘bandalheira, falta de moral e falta de respeito’. Dizer-se ‘mãe de família’, ‘idosa’, ‘pai de adolescentes’, ‘cinqüentenário’, tanto quanto defender os ‘indefesos’ — aí incluídos os velhos, as crianças e as mulheres — era a maneira que os remetentes encontravam para apresentarem-se autorizadamente diante do poder público. Jovens e crianças aparecem especialmente indefesos nas cartas, demandando os cuidados da censura, pois ‘falta-lhes ainda, infelizmente, a orientação segura que nem o lar nem a escola’ deveriam dar. Tudo poderia atingi-los, degenerá-los, despertar-lhes ‘os maus sentimentos porventura embrionários’, pois os ‘menores não sabem discernir’. Inseguros diante da ‘onda erótica e pornográfica’, do ‘vandalismo sexual’, da ‘poluição do sexo’, da ‘anarquia sexual’, apelavam para a autoridade, narrando seus infortúnios: ‘Acontece, meu caro senhor [que] minha senhora deparou com uma grande quantidade de material pornográfico [e viu] ruir sob seus olhos toda a estrutura que edificou’. O dono do material pornográfico era um menino que deixava de comprar o lanche na escola para adquirir as revistas e, durante o recreio, as mostrava, talvez lúbrico, às meninas. ‘Impressionante como essas crianças se deleitavam em ver tais cenas’, dizia um padre que registrara acontecimento assemelhado. ‘Jovens que, pela excitação sexual, são levados à masturbação, que prejudica o seu desenvolvimento físico e mental’, e à contestação. Em 1979, agastados com a programação infantil vesperal da TV, várias sedes do Lions Clube de São Paulo escreveram à DCDP pedindo providências. Era a ‘crise moral’, a ‘corrupção dos lares’, a ‘delinqüência juvenil’.
O artigo “Prezada Censura”: cartas ao regime militar do historiador Carlos Fico, de 2002, fonte da citação acima, mostra um outro lado da censura, ou seja, o apoio que esta atividade pode receber de alguns setores sociais. A íntegra do texto, com passagens hoje involuntariamente cômicas, está disponível aqui.

Postado por Richard Romancini

quinta-feira, 13 de março de 2008

A censura no Brasil

Se ainda existisse, a censura também estaria “comemorando” 200 anos em 2008, no Brasil. Isso ocorre, pois, logo após o início das atividades da Impressão Régia, em 1808, D. João criou uma junta com quatro censores.

Em muitos outros momentos da história brasileira, a censura também ceifou a expressão de manifestações culturais e políticas, até seu fim oficial em 1988.

Um roteiro de estudo na web das atividades da censura no Brasil, pode contemplar os seguintes sites:
Postado por Richard Romancini

Extensões de arquivos e programas

O site Boa Dica oferece um serviço interessante (aqui): você digita a extensão de um arquivo e ele faz uma busca e mostra o significado da extensão indicada ou o programa que a gera.

Postado por Richard Romancini

quarta-feira, 12 de março de 2008

Fotos em tamanho menor

O programa PhotoRazor promete produzir cópias de fotos digitais em tamanho menor, mas com boa qualidade. Outras informações sobre o software e link para baixar (o programa é gratuito), aqui.

Postado por Richard Romancini

Serviços para construção de páginas na Internet

O Google, que já oferecia a ferramenta para construção de sites Google Page Creator, agora lançou outro serviço desse tipo, o Google Sites. Como os dois são são gratuitos e bem funcionais, podem valer a pena para educadores que desejem construir páginas para si próprios ou turmas de estudantes.

Postado por Richard Romancini

Animação metalingüística

Recebi da Katsue, por e-mail, a divertida animação abaixo. O autor, Alan Becker, soube desenvolver uma brincadeira metalingüística (se você já usou alguma vez o programa Flash, isso se torna mais claro) com bastante talento e humor. Há uma animação inicial dessa série, aqui.



Postado por Richard Romancini

terça-feira, 11 de março de 2008

Objetos de aprendizagem

O portal Educacional do Estado do Paraná, Dia-a-dia Educação, possui uma parte com objetos educacionais em Física (aqui) e Química. São simulações e animações que procuram reforçar conteúdos relativos a essas matérias. Uma das animações é sobre as ondas de rádio e o eletromagnetismo, veja aqui.

Postado por Richard Romancini

Teatro Oficina: 50 anos

O Teatro Oficina comemora seus 50 anos com a remontagem da peça que deu início à sua trajetória: Vento forte para um papagaio subir. Informações sobre essa peça e o jubileu do Oficina podem ser vistas na página da Internet do grupo (aqui). Uma matéria e uma entrevista em vídeo com José Celso Martinez Corrêa recentes, feitas pelo jornal O Estado de S. Paulo, podem ser vistas aqui.

Postado por Richard Romancini

segunda-feira, 10 de março de 2008

Tutorial para a instalação do Freemind

Tutorial, elaborado por Lara Deppe, para o download e instalação do software Freemind: aqui (em formato pdf).

Postado por Richard Romancini

Machado em HQ

No site da ABL sobre Machado de Assis (do post anterior) há uma referência interessante: histórias em quadrinhos que adaptam contos do escritor. Um dessas adaptações, do conto Idéias do canário (ilustração acima), realizada por Francisco S. Vilachã, está disponível para baixar on-line e ser lida no computador (no formato de arquivo pdf), aqui. Ela está no bom site sobre quadrinhos Nona Arte.

Postado por Richard Romancini

domingo, 9 de março de 2008

Machado de Assis na web

O ano de 2008 marca também o centenário da morte (ocorrida em 1º de outubro de 1908) de Machado de Assis. No contexto desse centenário, a UNESP produziu um site que destaca o escritor nos periódicos (aqui). A Academia Brasileira de Letras também possui uma página na Internet muito boa dedicada a Machado (aqui). E outro destaque é o site que reúne todos os contos do escritor (aqui).

Também vale a pena ver o filme, produzido para a TV Escola, sobre o Machado de Assis, abaixo.

video

Postado por Richard Romancini

Debret e a Missão Artística Francesa

A propósito das atividades da corte portuguesa no Brasil, um dos empreendimentos mais interessantes foi o apoio à Missão Artística Francesa, que, além de desenvolver o ensino de arte no Rio, legou uma série de imagens das paisagens naturais, cenários urbanos e costumes brasileiros.

Um dos artistas mais conhecidos dessa Missão é Jean Baptiste Debret (1768-1848), que esteve no Brasil de 1816 a 1831. Em 1834, publicou, na França, Voyage Pitoresque et Historique au Brésil, em três tomos. As imagens desses volumes podem ser vistas na Biblioteca Virtual do Estudante de Língua Portuguesa (aqui), fonte do mapa acima.

Postado por Richard Romancini

sábado, 8 de março de 2008

Os 200 anos da família real no Brasil

O ano de 2008 será de muitas efemérides, pois com a chegada da família real portuguesa ao Brasil em 1808 (primeiro em Salvador, em 22 de janeiro, e depois no Rio de Janeiro, em 7 de março), iniciaram-se (ou consolidaram-se) muitas práticas culturais da civilização, como a impressa, o ensino médico e as atividades bancárias. A própria educação (então bastante precária) foi impulsionada.

Acima, imagem do livro Sketchs of Portuguese Life. Manners and Costume and Character, publicado em Londres em 1826. A ilustração é de um inglês que acompanhou a corte portuguesa ao Brasil, e assinou o volume com as iniciais de A.P.D.G. A imagem mostra a prática do beija-mão real, no Palácio de São Cristóvão.

Esse e outros livros que abordam o Brasil colonial são resenhados na página da exposição virtual 500 anos de Brasil na Biblioteca Nacional (aqui). E, aqui, matéria do UOL Educação sobre a chegada da corte portuguesa ao Brasil.

Postado por Richard Romancini

sexta-feira, 7 de março de 2008

Yahoo! Live – Seu próprio canal de TV na web


Yahoo! Live lançou um sistema que permite a qualquer pessoa com webcam disponibilizar streaming de vídeo ao vivo.


O produto ainda está em caráter experimental e permite que várias pessoas assistam à TV simultaneamente, podendo, ainda, enviar mensagens de voz, texto e imagens da webcam. Link: http://live.yahoo.com/


Postado por Salete Soares

quinta-feira, 6 de março de 2008

TV pública em discussão

O seminário “TV Brasil e os Desafios para a Constituição de um Sistema Público de Comunicação” será realizado no dia 7 de março, no Teatro Laboratório da Escola de Comunicações e Artes da USP.

Com mesas de discussão na parte da manhã e na da tarde, com as presenças, entre outros, de Tereza Cruvinel, presidente da Empresa Brasil de Comunicação, de Jorge da Cunha Lima, presidente do Conselho Curador da Fundação Padre Anchieta, e de Eugênio Bucci, do Instituto de Estudos Avançados/USP, o seminário é promovido pelo Intervozes - Coletivo Brasil de Comunicação Social e terá entrada gratuita. Mais informações, aqui.

Postado por Richard Romancini

domingo, 2 de março de 2008

Mensagem aos cursistas - Ciclo Básico estado de São Paulo


Car@s Cursistas,

Sabemos que muitos de vocês já manifestaram uma ansiedade compreensível pela retomada de nossos trabalhos no Programa Mídias na Educação, que, a princípio, estava prevista para o próximo dia 04 de março de 2008.

Três fatores, no entanto, pesaram na decisão — que transmitimos neste COMUNICADO GERAL — de adiar para o dia 08 de abril o reinício do nosso curso, com o Módulo Informática.

O primeiro fator se deve à necessidade de reorganizarmos as turmas, diante da significativa quantidade de cursistas que, manifestando interesse em continuar o curso, comprometeram-se em colocar em dia as atividades pendentes.

Outro fator diz respeito ao grande número de ausências não justificadas, que nos obriga a redimensionar as turmas, acolhendo novas inscrições de educadores que preencherão as vagas ociosas.

O terceiro e último fator foi a positiva chegada dos CDs com o conteúdo dos módulos, os quais, serão encaminhados aos NRTEs de todo o estado, para a devida distribuição, facilitando a feitura do curso por aqueles educadores que têm menos acesso à internet.

Esperamos que, em vista da dedicação e do interesse demonstrados até aqui, este mês seja entendido como um “fôlego a mais” para a continuidade do curso. Lembramos que o conteúdo dos Módulos está disponível no Portal Educativo do MEC - Webeduc: http://www.webeduc.mec.gov.br/midiaseducacao/index.php.

A mudança visa assegurar o bom desempenho das atividades, por isso manteremos um contato freqüente, por e-mail, garantindo o envio de mensagens e boletins que auxiliarão a discussão do tema Mídias na Educação. Convidamos tod@s cursistas a visitar o blog que criamos para o Programa e que atualizaremos ao longo do curso: http://midiaseducacao.blogspot.com/ .

Buscaremos assim, oferecer ao cursista uma gama de recursos para que possa aplicar, no trabalho pedagógico do dia-a-dia, os conteúdos de cada módulo.

Esclarecemos que @s tutor@s regressarão ao trabalho apenas no dia 7 de abril. As mensagens publicadas no ambiente e-proinfo serão avaliadas, ao longo do mês de abril, após o retorno de toda equipe.

Maiores esclarecimentos enviar mensagem para o endereço: nce.midias@gmail.com.

Agradecemos, em nome de todos os envolvidos, a sua atenção e participação,

Prof. Dr. Ismar de Oliveira Soares
Supervisor Geral - Mídias na Educação

Patrícia Horta
Coordenadora Geral - Mídias na Educação


01/03/2008

sábado, 1 de março de 2008

Adeus, Netscape

Todo mundo que usava a Internet no início da popularização da rede no Brasil deve lembrar do excelente navegador Netscape (o gerenciador de e-mails dele, o Communicator, também era muito bom). Ele foi o navegador mais utilizado em todo o mundo, até que a Microsoft deflagrou a “guerra dos browsers” (o verbete da Wikipédia, aqui, é bem esclarecedor sobre esse episódio). O gráfico abaixo, também da Wikipédia, mostra como o Netscape era largamente usado e foi perdendo terreno para o navegador da Microsoft.
A empresa Netscape acabou sendo comprada pela AOL, em 1999, e o suporte ao navegador acabará (leia informe aqui) hoje. Porém, os criadores do Netscape tiveram a inteligência de abrir o código do navegador, dando início ao projeto Mozilla, que suporta o navegador - muito bom, sobretudo se você tem um computador com poucos recursos - Firefox (para baixar, aqui) e também o projeto, que inclui browser, SeaMonkey (aqui).

Postado por Richard Romancini